Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
ONLINE
1


Partilhe esta Página

 


GAMBITO DA DAMA
GAMBITO DA DAMA

D00-D09D10-D19D20-D29D30-D39D40-D49D50-D59D60-D69D70-D79D80-D89D90-D99

D50: Gambito de Dama recusado, Gambito Holando-peruano

1. d4 d5
2. c4 e6
3. Cc3 Cf6
4. Bg5 c5

D50: Gambito de Dama recusado, Ortodoxa Variante linhas secundárias

1. d4 d5
2. c4 e6
3. Cc3 Cf6
4. Bg5

D51: Gambito de Dama recusado, 4.Bg5 Cbd7 linhas secundárias

1. d4 d5
2. c4 e6
3. Cc3 Cf6
4. Bg5 Cbd7

D52: Gambito de Dama recusado, Variante Cambridge Springs

1. d4 d5
2. c4 e6
3. Cc3 Cf6
4. Bg5 Cbd7
5. e3 c6
6. Cf3 Da5

D53: Gambito de Dama recusado, Variante Ortodoxa desvios prematuros

1. d4 d5
2. c4 e6
3. Cc3 Cf6
4. Bg5 Be7

D54: Gambito de Dama recusado, Variante Ortodoxa sem Cf3

1. d4 d5
2. c4 e6
3. Cc3 Cf6
4. Bg5 Be7
5. e3 O-O
6. Tc1

D55: Gambito de Dama recusado, Variante Ortodoxa sem ...h6

1. d4 d5
2. c4 e6
3. Cc3 Cf6
4. Bg5 Be7
5. e3 O-O
6. Cf3

D56: Gambito de Dama recusado, Lasker Variante linhas secundárias

1. d4 d5
2. c4 e6
3. Cc3 Cf6
4. Bg5 Be7
5. e3 O-O
6. Cf3 h6
7. Bh4 Ce4

D57: Gambito de Dama recusado, Lasker Variante linha principal

1. d4 d5
2. c4 e6
3. Cc3 Cf6
4. Bg5 Be7
5. e3 O-O
6. Cf3 h6
7. Bh4 Ce4
8. Bxe7 Dxe7
9. cxd5 exd5

D58: Gambito de Dama recusado, Tartakower Defesa linhas secundárias

1. d4 d5
2. c4 e6
3. Cc3 Cf6
4. Bg5 Be7
5. e3 O-O
6. Cf3 h6
7. Bh4 b6

D59: Gambito de Dama recusado, Tartakower Defesa linha principal

  1. d4 d5
    2. c4 e6
    3. Cc3 Cf6
    4. Bg5 Be7
    5. e3 O-O
    6. Cf3 h6
    7. Bh4 b6
    8. cxd5 Cxd5

  2. Desde o início do século (XX), esta abertura, que nasce de 1. d4, goza da preferência dos mestres. Ela é muito menos popular entre os enxadristas de força média, que apresentam dificuldades de ordem psicológica em o seu aprendizado. Quando jogam com as brancas, simplesmente esquecem o 1. d4. Jogando com as negras, sentem-se perturbados quando o adversário inicia a partida com 1. d4.

    É claro que isto faz do Gambito da Dama uma arma formidável, técnica e psicológica. O jogador que o conhece particularmente apresenta-se vantajosamente face a seus adversários.

    O Gambito da Dama torna-se uma arma mortal porque com ele as brancas obtêm maior liberdade de ação para suas peças. Como resultado, conseguem frequentemente um decisivo comando sobre o tabuleiro. Algumas vezes exercem uma ação de leve estrangulamento sobre as forças negras; outras vezes, devido a sua mobilidade superior, as brancas ficam em condições de arrematar de forma brilhante.

    Isto explica por que muitos jogadores receiam jogar com as negras contra o Gambito da Dama. Eles sabem devido a uma experiência funesta ou, talvez, pela própria reputação da abertura, que terão que se haver com uma linha de jogo perigosa. Assim, mesmo com as brancas, recusam-se a empregar o Gambito da Dama! Certo ou errado, eles receiam não poder manejá-lo de forma suficiente.

    As brancas ameaçam obter um poderoso centro de peões com cxd5. Se as negras jogam 2. ..., dxc4, as brancas podem ainda conseguir esse centro de peões.

    As brancas oferecem um peão com 2. c4, constituindo este lance o Gambito da Dama. Um gambito, como já sabemos, é uma abertura em que se oferece material tendo em vista o ganho de tempo para um melhor desenvolvimento ou a obtenção de outras vantagens. Os gambitos do peão-rei, como o Gambito do Rei ou o Gambito Evans, apresentam um caráter altamente especulativo. O Gambito da Dama em muitas das suas variantes não constitui propriamente uma aventura, pois as brancas geralmente podem recuperar o peão (por exemplo, se as negras jogam 2. ..., cxd5, as brancas podem recuperar imediatamente o peão com 3. Da4+, se o desejarem). Assim, verificamos que pouco há de especulativo neste gambito. Por outro lado, 2. c4 encerra uma ameaça definitiva. As brancas momentaneamente ameaçam capturar o peão central do adversário. Livrando-se do peão-dama das negras, elas podem avançar seu peão-rei a e4, obtendo um excelente centro de peões e deixando as negras com menor espaço (as brancas, na posição após 2. c4, ameaçam 3. cxd5, Dxd5; 4. Cc3 seguido de 5. e4 com posição dominante).

    Nosso problema mais importante é: como as negras poderão manter-se no centro? Manter em pé no centro é essencial para as negras. A perda do centro permitirá o controle do tabuleiro por parte das brancas (aliás, isto as brancas esperam conseguir quando seu adversário se revela pouco senhor das ciladas que a abertura oferece).O escopo desse nosso estudo é justamente familiarizar o jogador de xadrez com os esquemas básicos que devem ser adotados por ambos os lados.

topo