Translate to English Translate to Spanish Translate to French Translate to German Google-Translate-Portuguese to Italian Translate to Russian Translate to Chinese Translate to Japanese
ONLINE
2


Partilhe esta Página

 


Gambito da Dama
Gambito da Dama

 

ATENÇÃO

Notação Descritiva

Notação descritiva de xadrez

Xadrez-not descritiva.png

A Notação Descritiva é um sistema de notação de partidas de xadrez, no qual cada coluna recebe um nome que indica qual a peça que originalmente ocupa a primeira casa. Assim, a primeira coluna é TD, ou coluna da Torre da Dama (para as brancas). A coluna seguinte é a CD, ou coluna do Cavalo da Dama. Seguem as colunas BD (Bispo da Dama), D (Dama), R (Rei), BR (Bispo do Rei), CR (Cavalo do Rei) e TR (Torre do Rei).

A contagem da linha começa em 1 a partir da linha que contém as peças de valor maior, indo até 8 na outra extremidade. Só que a linha 1 das brancas é a linha 8 das pretas, e vice-versa.

Este sistema, embora muito popular no século passado, encontra-se em desuso, e não é aceito pela FIDE em anotações de jogos de campeonatos oficiais. Entretanto, boa parte da literatura nacional sobre o xadrez foi escrita antes da adoção oficial do sistema algébrico, de forma que o leitor vai precisar acostumar-se com o sistema descritivo.

Um início de partida típico no sistema descritivo pode ser visto abaixo:

1. P4R   P4R
2. C3BR  B5C
3. P4D   PxP

No trecho acima, a jogada de número 3 contém uma captura (Peão captura Peão), e, pela posição do jogo, só pode ser o P4R das pretas que capturou o P4D das brancas. Lembrando que a casa P4R das pretas é a casa P5R das brancas.

O fim do jogo geralmente é anotado 1-0 (vitória das brancas), 0-1 (vitória das pretas) ou 1/2-1/2 (empate), indicando para quem foi o ponto disputado na partida.

Outros símbolos que aparecem na anotação são o + (xeque), o ++ (xeque-mate), 0-0 (roque pequeno), e 0-0-0 (roque grande).

Gambito da Dama

Gambito da Dama
O Gambito da Dama é uma abertura de xadrez do grupo das aberturas do peão da dama caracterizada pelos movimentos:
1.d4 d5 2.c4
Desde o início do século (XX), esta abertura, que nasce de 1. d4, goza da preferência dos mestres. Ela é muito menos popular entre os enxadristas de força média, que apresentam dificuldades de ordem psicológica em o seu aprendizado. Quando jogam com as brancas, simplesmente esquecem o 1. d4. Jogando com as negras, sentem-se perturbados quando o adversário inicia a partida com 1. d4.

É claro que isto faz do Gambito da Dama uma arma formidável, técnica e psicológica. O jogador que o conhece particularmente apresenta-se vantajosamente face a seus adversários.
O Gambito da Dama torna-se uma arma mortal porque com ele as brancas obtém maior liberdade de ação para suas peças. Como resultado, conseguem frequentemente um decisivo comando sobre o tabuleiro. Algumas vezes exercem uma ação de leve estrangulamento sobre as forças negras; outras vezes, devido a sua mobilidade superior, as brancas ficam em condições de arrematar de forma brilhante.
Isto explica por que muitos jogadores receiam jogar com as negras contra o Gambito da Dama. Eles sabem devido a uma experiência funesta ou, talvez, pela própria reputação da abertura, que terão que se haver com uma linha de jogo perigosa. Assim, mesmo com as brancas, recusam-se a empregar o Gambito da Dama! Certo ou errado, eles receiam não poder manejá-lo de forma suficiente.
As brancas ameaçam obter um poderoso centro de peões com cxd5. Se as negras jogam 2. ..., dxc4, as brancas podem ainda conseguir esse centro de peões.
As brancas oferecem um peão com 2. c4, constituindo este lance o Gambito da Dama. Um gambito, como já sabemos, é uma abertura em que se oferece material tendo em vista o ganho de tempo para um melhor desenvolvimento ou a obtenção de outras vantagens. Os gambitos do peão-rei, como o Gambito do Rei ou o Gambito Evans, apresentam um caráter altamente especulativo. O Gambito da Dama em muitas das suas variantes não constitui propriamente uma aventura, pois as brancas geralmente podem recuperar o peão (por exemplo, se as negras jogam 2. ..., cxd5, as brancas podem recuperar imediatamente o peão com 3. Da4+, se o desejarem). Assim, verificamos que pouco há de especulativo neste gambito. Por outro lado, 2. c4 encerra uma ameaça definitiva. As brancas momentaneamente ameaçam capturar o peão central do adversário. Livrando-se do peão-dama das negras, elas podem avançar seu peão-rei a e4, obtendo um excelente centro de peões e deixando as negras com menor espaço (as brancas, na posição após 2. c4, ameaçam 3. cxd5, Dxd5; 4. Cc3 seguido de 5. e4 com posição dominante).
Nosso problema mais importante é: como as negras poderão manter-se no centro? Manter em pé no centro é essencial para as negras. A perda do centro permitirá o controle do tabuleiro por parte das brancas (aliás, isto as brancas esperam conseguir quando seu adversário se revela pouco senhor das ciladas que a abertura oferece).O escopo desse nosso estudo é justamente familiarizar o jogador de xadrez com os esquemas básicos que devem ser adotados por ambos os lados. Veremos o que as brancas pretendem e o que as negras poderão fazer para neutralizar as ameaças.
Após esta seção ter sido estudada, acreditamos que o leitor se sentirá capaz de jogar o Gambito da Dama Recusado, com razoável confiança.
Gambito da Dama Aceito
 
Gambito da Dama Aceito
O Gambito da Dama Aceito jogada dentro do Gambito da Dama é caracterizada pelos movimentos:
1.d4 d5 2.c4 dxc4
Procurando evitar as complicações que emanam do Gambito da Dama Recusado, alguns jogadores preferem aceitar o gambito, respondendo 2. P4BD com 2. ..., PxP. Com este lance, abrem a grande diagonal para o bispo-dama que poderá ser posto em fianqueto. Teoricamente a ideia é excelente – mas apresenta inconvenientes. As negras entregam o centro de saída dando mais espaço ao adversário, deixando-o com um poderoso centro de peões.
As negras podem experimentar outra linha após 2. ..., PxP, levando seu bispo-dama para 5CR. Embora pareça agressiva, as brancas tem recursos para responder satisfatoriamente. Assim a aceitação do gambito deixa as negras com sérios problemas.
(a) Variante 4. ..., P3R
1. P4D  P4D
2. P4BD  PXP
3. C3BR  C3BR
4. P3R  P3R
 
É instrutivo verificar como é inútil para as negras a tentativa de manutenção do peão do gambito. Assim, se 4. ..., P4CD; 5. P4TD!, P3BD; 6. P3CD! E agora, as negras devolvem o peão e ainda ficam com fraquezas em sua estrutura de peões do lado da dama.
5. BXP  P4B
Importante contestação. Investindo o PD imediatamente, as negras reduzem os efeitos de um possível P4R por parte das brancas.
6. O-O  P3TD
7 D2R  P3TD
 
As brancas podem continuar de duas formas vantajosas: 8. PxP! Tendo em vista o fianqueto do seu bispo-dama em uma poderosa diagonal; ou 8. T1D! para operar com as torres nas colunas abertas.
Procedendo com inexorável lógica, as brancas podem obter uma vantagem posicional indiscutível por meio de 8. PxP!, BxP; 9. PT3D!, P4CD; 10. B2T, B2C; 11. P4CD, B2R; 12. B2C, 0-0; 13. CD2D! O objetivo das brancas se revela claramente com este lance: seu cavalo-dama pode ocupar a casa 5BD. Enquanto para as negras, seu cavalo-dama tendo sido movimentado de forma diferente, não poderá ocupar casa idêntica.
Seguir-se-á: 13. ..., D3C; 14. C3C, TR1D; 15. TD1B, TD1B; 16. C5B com posição nitidamente superior para as brancas.
8. T1D  P4CD
Pretendendo responder 9. B3D (ou 9. B3C) com 9. ..., P5B!; 10. B2B, C5CD! E ..., CxB assegurando a vantagem posicional do par de bispos contra bispo e cavalo, para as negras.
9. PXP  D2B
10. B3D  BXP
 
Não 10. ..., C5CD; 11. P4TD!, CxB; 12. DxC, P5C; 13. P6B!, com estrangulamento do jogo das negras, que não podem jogar 13. ..., DxPB?? Devido a 14. D8D mate.
11. P4TD!  P5C
A alternativa 11. ..., PxP; 12. TxP, C5CD não é boa devido a 13. B5C+!, B2D; 14. BxB+, CxB; 15. B2D etc.
12. CD2D  O-O
13. C3C  B2R
 
As brancas podem jogar 13. P4R seguido de B5CR e TD1B deixando as negras com jogo amarrado e difícil.
 
(b) Variante 4. ..., B5C
 
1. P4D  P4D
2. P4BD  PXP
3. C3BR  P3TD
4. P3R  B5C
 
Como vimos anteriormente, seria sem objetivo para as negras 4. ..., P4CD devido a 5. P4TD, P3BD; 6. P3CD! Etc. Em lugar disso, desenvolvem o bispo-dama cravando o cavalo-rei das brancas.
5. P3TR  B4T
6. BXP  P3R
7. D3C!  BXC
 
Proteger o peão-cavalo-dama constitui um difícil problema para as negras, pois nem 7. ..., D1B, nem 7. ..., T2T são satisfatórios.
8. PXB  P4CD
9. B2R  P4BD
10. P4TD  P5C
11. PXP  BXP
 
As brancas tem o par de bispos contra cavalo e bispo e podem fazer bom uso da coluna aberta cavalo-rei. Em conclusão, a estrutura dos peões negros do lado da dama está debilitada. A posição das brancas é definitivamente superior.
GAMBITO DA DAMA RECUSADO
Para garantirem sua permanência no centro, as negras devem apoiar seu peão-dama com um movimento de peão. Então, se as brancas jogam PxP, as negras respondem ..., PxP. Desta forma elas mantêm um peão em 4D e conseguem um sólido pé no centro. As negras têm dois lances de apoio de peão que respondem por esse propósito: 2. ..., P3R (tratado nesta seção) e 2. ..., P3BD.
         Vejamos as consequências de 2. ..., P3R.
 
2... P3R
 
As negras agora estão firmes no centro, mas um novo problema deve ser resolvido: como desenvolver o bispo-dama? Jogando ..., P3R as negras fecharam a diagonal de seu bispo-dama. A peça está solidamente encerrada pelo P3R. A presença desse peão em 3R é motivo para que o desenvolvimento do bispo-dama normalmente constitua um problema no Gambito da Dama.
É esta séria perda de mobilidade, muitas vezes, a responsável pelo fracasso das negras. Quando elas não conseguem retirar seu bispo, o desenvolvimento se ressente para o resto da partida, deixando as brancas com uma vantagem que pode se prolongar até o final da partida. Porém, o pior é que muitos jogadores, quando com as negras, não se advertem do perigo que isto representa!
Contudo, identificando o problema, como resolve-lo? Há dois caminhos indicados: (a) procurar realizar ..., P4R que abre a diagonal do bispo-dama, ou (b) efetuar o fianqueto por intermédio de ..., P3CD ou mesmo P4CD. De um modo geral são estes os caminhos indicados. Se nenhum deles for realizável, é comum o bispo-dama permanecer encerrado sem mobilidade, conduzindo muitas vezes à perda da própria partida.
Nos 3 diagramas seguintes mostraremos alguns casos em que não foi possível realizar o lance libertador.
1 – As negras podem esforçar-se de todos os modos, mas o bispo-dama permanecerá encerrado, prisioneiro de seus próprios peões das casas brancas (PR, PBD, PCD).
 

Cada variante específica procura resolver o problema, mas as brancas tem outros trunfos na mão que exigem cuidados por parte do adversário.
Assim, elas podem muitas vezes situar seu cavalo-rei em 5R de forma muito efetiva. O cavalo passa a ocupar um posto avançado magnífico, irradiando seu poder em todas as direções. Um exemplo disso, podem ver no diagrama 2. A dama, o cavalo e o bispo das brancas apontam perigosamente para o flanco-rei, enquanto a torre, postada em 3BD, se prepara para alcançar 3TR ou 3CR.
2 – Se as negras experimentam 1. ..., C2D (para eliminar o cavalo adversário), poder-se-á seguir: 2. T3TR; 3. TxP!!, PxT; 4. D3C+, R1T; 5. C6C+!, PxC; 6. DxD, ou 3. ..., P3B; 4. T8T+!!, RxT; 5. D4T+, R1C; 6. D7T mate.
 

Outro perigo (particularmente ilustrado no diagrama 2) decorre das amplas possibilidades do bispo-rei das brancas em operar segundo a diagonal 1CD-7TR, apontando diretamente para o coração do roque adversário. Esta ameaça se intensifica, tornando-se drástica, quando também a dama se encontra sobre a mesma diagonal, como é o caso do diagrama 3.
3 – As brancas jogam 1. B1C (com a ameaça de 2. BxC, BxB; 3. DxP mate). As negras devem responder 1. ..., P3C, porém seguir-se-á 2. BxC, BxB; 3. C4R!, B2R; 4. P4CD! E as brancas ganham uma peça.
 

Finalmente, devemos recordar que o segundo lance das brancas no Gambito da Dama Recusado (2. P4BD), muitas vezes permite a abertura da coluna bispo-dama, que passa a ser ocupada pela torre-dama de forma poderosa (um exemplo ocorre na posição após 4. B5C da Defesa Ortodoxa). As negras devem considerar esta possibilidade e o melhor caminho para neutralizá-la será realizar cedo o avanço ..., P4BD, que assegura contra-jogo para sua torre na coluna aberta. Vimos, portanto, que são inúmeros os perigos que as negras enfrentam, variados e potentes. Mas não há razão para desespero. SE as negras desconhecem s perigos, poderão facilmente sucumbir. Caso contrário, perfeitamente avisadas, poderão tomar suas contramedidas em tempo útil.
(a) Defesa Ortodoxa
1. P4D  P4D
2. P4BD  P3R
 
As brancas devem optar pelo desenvolvimento de um dos seus cavalos. 3. C3BR é menos correto, pois pode conduzir às Variantes (e), (f) ou (g), que permitem um jogo mais fácil para as negras, que 3. C3BD.
3. C3BD  C3BR
4. B5C
 
Jogando 4. ..., CD2D, as negras montam uma das mais populares armadilhas existentes do xadrez: 5. PxP, PxP; 6. CxP??, CxC!!; 7. BxD, B5C+; 8. D2D, BxD+; 9. RxB, RxB e as negras ganharam uma peça!
4...CD2D
É indiferente 4. ..., CD2D ou 4. ..., B2R. Mas se elas desejam entrar na Cambridge Spring – Variante, devem jogar ..., CD2D.
5. P3R  B2R
6. C3B  O-O
7. T1B!
 
lance de torre exerce uma ação retardadora sobre o desenvolvimento do adversário, e prepara a pressão dessa peça sobre a coluna bispo-dama.
7...P3B
 
Temporariamente neutralizando a pressão da torre branca sobre a coluna-bispo-dama. Naturalmente, as negras mantem-se em condições de realizar posteriormente o ..., P4B.
As negras devem encarar seriamente o problema de desenvolvimento do seu bispo dama. Observe-se que no momento ele está imobilizado!
8. B3D
 
Eis uma posição crucial em que as negras podem ser facilmente induzidas ao erro. Certa partida continuou, por exemplo: 8. ..., P3CD?; 9. PxP, CxP; 10. CxC, PBxC; 11. BxB, DxB; 12. T7B!, D5C+; 13. D2D, DxD+; 14. RxD, P3TD; 15. TR1BD e as brancas estrategicamente têm jogo ganho.
8...PXP
9. BXB  C4D
 
As negras cedem o centro na esperança de liberarem sua acanhada posição, por meio de diversas trocas – e também procurando, com isso, liberar seu bispo.
10. BXB  DXB
11 O-O
 
As brancas podem evitar a troca dos cavalos com 11. C4R, mas após 11. ..., CR3B; 12. C3C, P4R! (liberando o bispo!) as negras ficam bem.
11...CXC
12. TXC P4R
 
Finalmente o lance libertador ..., P4R, que assegura o desenvolvimento do bispo.
No caso de 13. PxP, CxP; 14. CxC, DxC; 15. P4B, as negras podem continuar com 15. ..., D5R!; 16. B3C, B4B!; 17. D5T, P3CR; 18. D6T, TD1D etc.
13. D1C
 
Com este lance, as brancas continuam mantendo alguma vantagem em espaço. Se agora 13. ..., P5R; 14. C2D, C3B; 15. P4CD!, P3TD; 16. TR1B, B5C; 17. P4TD e as brancas tem bom jogo explorando a coluna bispo-dama, após P5C etc.
Provavelmente melhor para as negras seria 13. ..., PxP; 14. PxP, C3C; 15. B3C, D3B; 16. T1R, B3R; 17. BxB, PxB; 18. T3B-3R, TD1R. As brancas ainda dispõem de mais espaço para suas peças, mas as negras completaram seu desenvolvimento e tem uma forte casa para seu cavalo em 4D.
 
(b) Variante da Troca
 
1. P4D  P4D
2. P4BD  P3R
3. C3BD  C3BR
4. B5C  CD2D
5. P3R  P3B
6. PXP  PRXP
 
As brancas irão explorar mais tarde esta troca, porém as negras com isto conseguem abrir uma diagonal para seu bispo-dama.
7. B3D  B2R
Planejando liberar seu jogo com 8. ..., C5R!
8. D2B!  O-O
O lance das brancas evitou 8. ..., C5R? que agora seria respondido com 9. BxB ganhando um peão. Assim as negras devem procurar outro caminho para a sua libertação.
As brancas planejam jogar TD1C em seu devido curso, seguido de P4CD e P5C. Se as negras trocam os peões (..., PBxPC) enfraquecem seus peões-dama e cavalo-dama; além do domínio das brancas na coluna aberta bispo-dama.
Por outro lado, se as negras não reagem contra este aatque de peões e permitem às brancas jogam PCxPB, ficarão com seu peão-bispo-dama atrasado, justamente na coluna aberta. Este peão seria uma fraqueza permanente para a parte final da luta.
Vejamos algumas possibilidades típicas: 8. ..., C4T; 9. BxB, DxB; 10. CR2R, P3CR; 11. 0-0, P4BR; 12. TD1C, 0-0; 13. P4CD!, P3TD; 14. P4TD, P5B! (contrajogo no flanco-rei); 15. CxPB, CxC; 16. PxC, TxP; 17. C2R, T3B; 18. P5C, PTxP; 19. PxP, C1B; 20. PxP, PxP. As negras ficam com seu peão-bispo-dama atrasado.
Ou 8. ..., C1B; 9. C3B, C3R; 10. B4T, P3CR; 11. 0-0, 0-0; 12. TD1C, C2C; 13. P4CD!, B4B (livrando-se do problema original); 14. P5C, BxB; 15. DxB, C4B; 16. PxP, CxB; 17. CxC, PxP. Novamente as negras ficam com seu peão-bispo-dama atrasado.
9. C3B  T1R
10. O-O
 
Ainda é muito cedo para 10. ..., C5R?, pois então 11. BxC! Ganha um peão (o peão-torre-rei está desprotegido).
10...C1B
11. TD1C  C5R
 
Se agora 12. BxC, BxB as negras estão em segurança (seu peão-torre-rei está protegido).
12. BXB  DXB
Novamente as brancas estão em condições de desencadear seu ataque de peões: 13. P4CD, P3TD; 14. P4TD, CxC; 15. DxC seguido eventualmente de P5C com forte iniciativa.
(c) Defesa Cambridge Spring
1. P4D  P4D
2. P4BD  P3R
3. C3BD  C3BR
4. B5C  CD2D
 
Boa alternativa é 4. ..., B5C, com ideias semelhantes às da Defesa Nimzoíndia.
Após 4. ..., CD2D, as brancas podem, se o desejarem, transpor para a Variante da Troca com 5. ou 6. PxP.
5. P3R  P3B
6. C3B  D4T
 
Com este lance as negras cravam o cavalo-dama das brancas, explorando a ausência do bispo-dama. Observe-se que 7. PxP já não seria bom, pois as negras tem 7. ..., CxP, intensificando a cravação.
7. C2D
Tomando providências contra a cravação. As negras podem agora obter a igualdade com 7. ..., B5C; 8. D2B, PxP (atacando o bispo-dama); 9. BxC, CxB; 10. CxP, BxC+; 11. DxB, DxD+; 12. PxD, R2R; 13. P3B, B2D; 14. TD1C, P3CD; 15. C5R, TR1BD seguido de ..., P4B. Contudo, a linha principal é mais simples e mais promissora.
7...PXP
8. BXC  CXB
9. CXP  B2B
10. T1B  C4D!
11. B3D  CXC
12. PXC
 
Não 12. TxC?, B5C ganhando a qualidade.
12...B2R
13. O-O  O-O
14 P4B  3CR
15. C5R P4BD
 
A posição é aproximadamente igual. As brancas com jogo mais livre, as negras com o par de bispos.
 
(d) Defesa Lasker
1. P4D  P4D
2. P4BD  P3R
3. C3BD  C3BR
4. B5C  B2R
5. P3R  O-O
6. C3B  P3TR
7. B4T  C5R!
8. BXB  DXB
 
As negras empenham-se em trocar e simplificar para liberar o jogo.
As negras conseguiram uma posição satisfatória, por exemplo: 9. CxC, PxC; 10. C2D, P4R! E se 11. CxP?, PxP; 12. PxD??, T1D e as negras ganham uma peça. Ou se 9. D2B, CxC; 10. DxC, PxP!; 11. BxP, P3CD; 12. 0-0, B2C; 13. B2R, T1B!; 14. TR1D, P4BD e as negras estão bem.
9. PXP  CXC
10. PXC PXP
 
Finalmente o bispo foi liberado.
11. D3C T1D
12. P4B  PXP
13. BXP  C3B
14. D3B  B5C
 
O bispo das negras desenvolveu-se com a ameaça de 15. ..., BxC; 16. PxB, CxP (ou 16. ..., TxP).
15. O-O  BXC
16. PXB  D3B
 
A posição das negras é satisfatória. Todas as peças tem bom jogo.
 
(e) Variante de Praga
1. P4D  P4D
2. P4BD  P3R
3. C3BD  C3BR
4. C3B  P4B
 
Menos energético, o quarto lance das brancas permitiu ao adversário investir vigorosamente o centro.
Se agora 5. B5C, PBxP; 6. CRxP, P4R; 7. C3B, P5D; 8. C5D, B2R; 9. CxB, DxC com bom jogo para as negras.
5. PBXP  CXP!
Após 5. ..., PRxP, as negras depois de PxP, ficariam com o peão-dama isolado, como na variante (h).
6. P4R  CXC
7. PXC  PXP
8. PXP  B5C+
9. B2D  BXB+
 
Como na variante anterior, as negras liberam seu jogo trocando peças.
10. DXB  O-O
11. B4B  C3B
12. O-O  P3CD
13. TR1D  B2C
 
As negras desenvolveram seu bispo-dama satisfatoriamente. Após 14. D4B, T1B ficam com bom jogo. As brancas tem poderoso centro de peões e as negras maioria no flanco dama. Ambos os lados tem boas perspectivas para o meio-jogo.
 
(f) Variante Duras
1. P4D  P4D
2. P4BD  P3R
3. C3BD  C3BR
4. B5C  P3TR!
 
Explorando o fato de o terceiro lance das brancas não ter sido tão forte como C3BD.
O lance branco que se segue é praticamente forçado, pois se 5. B4T, B5C+; 6. C3B, PxP! E as negras podem manter o peão do gambito em todas as variantes. Exemplo: se 7. P4R?, P4CR! Ganhando o peão rei (o que tinham em vista realizando 4. ..., P3TR!). Se 7. P3R, P4CD! (objetivo de 5. ..., B5C+). Finalmente, se 7. D4T+, C3B; 8. P3TD, BxC+; 9. PxB, D4D!; 10. P3R, P4CD e novamente as negras mantém o peão.
5. BXC DXB
 
As negras tem vantagem posicional do par de bispos contra bispo e cavalo; mas a sua posição está um pouco amarrada.
6. D3C  P3B
7. CD2D  C2D
8. P4R  PXPR
9. CXP  D5B
10. B3D  C3B
11. CXC+  DXC+
12. O-O  B3D
13. TR1R  O-O
 
Jogo igual. As brancas tem posição mais livre, porém as peças negras tem considerável potencial, particularmente se conseguirem liberar seu bispo-dama.
 
(g) Variante Vienense
1. P4D  P4D
2. P4BD  P3R
3. C3BD  C3BR
4. B5C  B5C+
5. C3B  PXP
6. P4R  P4B
 
Esta reação central conduz a uma partida muito excitante. As negras novamente se beneficiam do lance C3BR, menos enérgico que C3BD.
Partida extremamente complicada resulta de 7. PR, mas as negras, segunda tudo indica, se saem bem. Por exemplo: 7. ..., PxP; 8. PxC, PxP; 9. D4T+, C3B; 10. 0-0-0, PxB; 11. CxPD, BxC!; 12. PxB, B2D!; 13. CxC, D2B!; ou 7. ..., PxP; 8. D4T+, C3B; 9. 0-0-0, B2D!; 10. C4R, B2R; 11. PxC, PxP; 12. B4T, TD1B!; 13. R1C, C4T; 14. D2B, P4R! e as negras tem compensação pela peça a menos (seus peões estão poderosos).
7. BXP
 
As negras podem jogar agora 7. ..., PxP; 8. CxP, BxC+; 9. PxB, CD2D com jogo seguro. Contudo 7. ..., PxP; 8. CxP, D4T parece muito mais arriscado; 9. BxC!, BxC+; 10. PxB, DxPB+; 11. R1B, DxB+; 12. R1C, C2D (não 12. ..., PxB?; 13. T1B ganhando); 13. T1B, D3T; 14. BxPC e as brancas ficam com terrível iniciativa.
7.... BXC!
8. PXB  D4T!
 
As negras devem ganhar um peão, por exemplo 9. D2B, (ou 9. D3D) CxP! Etc. Ou 9. BxC, DxPB+; 10. C2D, PxB; 11. PxP, C2D etc.
Esta linha não é recomendada para as brancas, pois as negras ganham material.
(h) Defesa Tarrash
1. P4D  P4D
2. P4BD  P3R
3. C3BD  P4BD
4. PBXP!  PRXP
 
Pretendem as brancas onerar as negras com um peão-dama isolado (vide nono lance).
5. C3B  C3BD
6. P3CR!
 
As brancas irão fianquetar seu bispo-rei para exercerem maior ação sobre o fraco peão-dama.
6...C3B
7. B2C  B2R
8. O-O  O-O
9. PXP!
 
Este lance define a vantagem das brancas. O contragambito 9. ..., P5D simplesmente deixa as negras comum peão a menos após 10. C4TD, B4B; 11. B4B, C5R; 12. P4CD!, B3B; 13. P5C, C2R; 14. B5R.
9...BXP
10.C4TD  B2R
11. B3R  C5R
12. T1B  ...
 
As brancas tem acentuada vantagem posicional, graças ao peão-dama isolado das negras.
 
Conclusão: após 3. C3BD, as melhores defesas para as negras parecem ser a Cambridge Spring, a Lasker e a Variante de Praga.
Após 3. C3BR, as negras ficam bem com a Variante Duras ou a Vienense.
Defesa Eslava
 

A Defesa Eslava jogada dentro do Gambito da Dama é caracterizada pelos movimentos:
1.d4 d5 2.c4 c6
Semelhante à posição da Defesa Caro-Kann.
Outras Variantes
  • 1.d4 d5 2.c4 Bf5 - Defesa Báltica

topo